Publicado em

Lagarta do Pinheiro

Olá,

A Kimmi é uma azarenta e já se encontrou com uma destas lagartas mázinhas…

Não é demais transmitir informação sobre estas lagartas visto começarem a encontrar-se nesta altura do ano (e pelo que percebi este ano começaram a aparecer mais cedo!)

http://www.educare.pt/educare/Opiniao.Artigo.aspx?contentid=4B8C1DB26E981AA6E04400144F16FAAE&opsel=2&channelid=0

http://www.hospvetprincipal.pt/lagartapinho.html

Estes dois links, por exemplo, falam um pouco dos cuidados a ter, visto que é nociva tanto para os humanos como para os animais.

A diferença é que os nosso bichinhos são uns curiosos e põem o nariz onde não são “chamados”!

A kimmi apenas cheirou, não chegou a colocar a lagarta dentro da boca, mas foi o suficiente para lhe inchar a língua, e o focinho!

O pior é o efeito de necrose (mata os tecidos atingidos)! A kimmi tem ainda de ser observada porque é possível que a pontinha da língua caia… 🙁

 

Vamos ficar bem atentos a estas lagartas que, por norma, são encontradas muitas juntas e fazem uma espécie de fila, ao longe pode até parecer uma corda…!

3 pensamentos em “Lagarta do Pinheiro

  1. DICAS E UTILIDADES

    A LAGARTA DO PINHEIRO– O INIMIGO DOS ANIMAIS CURIOSOS

    A lagarta do pinheiro é um insecto que ataca esta árvore enfraquecendo-a e provocando-lhe mesmo a morte. Tem igualmente um efeito nocivo não só nos humanos, causando-lhes irritações na pele, nos olhos e no aparelho respiratório, mas também nos animais, quando movidos pela curiosidade aproximam o focinho ou abocanham as lagartas.

    Dado existir uma grande falta de informação sobre esta matéria, a maior parte das pessoas, em determinadas alturas do ano e exactamente nas estações mais agradáveis, passeiam os seus cães em pinhais, nunca supondo que correm um enorme perigo.

    Desde meados de Fevereiro até fins de Maio as lagartas descem das copas dos pinheiros até ao solo, em procissão (daí o nome comum de processionária).
    Nesta altura, a processionária tem o corpo dividido em pequenos segmentos, cada um dos quais com milhares de pêlos urticantes de coloração alaranjada que se vão libertando à medida que a larva se move. São estes pêlos que, quando em contacto com a pele, mucosas e olhos provocam a reacção alérgica tão indesejada.

    Não é preciso que haja contacto direto entre o animal e a lagarta. O simples facto de farejar pode causar danos ao animal.

    Frequentemente o cão, e algumas vezes o gato, saem de casa para o seu passeio sem que os seus donos se apercebam dos caminhos por onde andam ou o que cheiram, abocanham ou comem. Quando regressam, despertam a atenção pelo seu focinho inchado, língua grossa e por vezes azulada, babar intenso, comichão, vómito e dor intensa quando o dono tenta à força abrir-lhes a boca na ideia de encontrar um corpo estranho (pau, lasca de madeira, etc.).

    O animal com estes sintomas deve ser levado de imediato ao veterinário, pois uma demora de algumas horas pode causar-lhe danos irreversíveis que se repercutem no apodrecimento do tecido que constitui a língua, obrigando ao corte das zonas infectadas. Em casos mais graves não é invulgar o corte total da língua.

  2. uauu..um mega complemento com uma excelente explicação! 🙂 Obrigada!

  3. Pois, atenção com os animais.
    O meu irmão tem uma cadela Labrador, que perdeu parte da língua devido a estas lagartas,e a cadela não morreu só porque foram com ela ao veterinário!
    Mas como só foram ao final do dia, ela perdeu parte da lingua…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *