Os Cuidados que deve ter com o seu Bulldog Frances e as Altas Temperaturas

Já todos ouvimos falar concerteza da relação do bulldog francês e as altas temperaturas ! É uma condição que qualquer dono de bulldog deve evitar pelos perigos que acarreta. Elaboramos uma lista de pequenas coisas que podemos fazer para ajudar o nosso cachorro a arrefecer melhor.

Mas primeiro, um bocadinho de história:

O bulldog francês apareceu no século XIX e uma boa curiosidade sobre estes cachorros é que eram muito usados pelos comerciantes, franceses e ingleses, como caçadores de ratos. Hoje em dia, graças à abençoada alteração da lei em relação aos direitos dos animais de companhia temos vindo a assistir à divulgação pelos média e por relatos pessoais de muitos casos de maus tratos a animais e negligência por parte dos donos.bulldog frances problemas calor

Com a chegada do Verão estes relatos mantém-se mas outros surgem, como é o caso da morte de Bulldog Frances devido ao calor. Na maioria dos casos, os cachorros têm vindo a padecer por ficarem fechados nos carros enquanto os donos vão, por exemplo, às compras ou almoçar. Neste caso os cachorros acabam por sucumbir, mesmo com os donos a deixar a janela semiaberta.

É verdade que muitos donos não fazem por maldade, são, simplesmente, ingénuos em relação aos perigos que deixar um cachorro fechado num carro ao calor acarreta. E aquela velha mania que muitos de nós temos de que não nos acontece a nós, só acontece aos outros faz com que tenhamos tendência para arriscar mais do que devíamos.

No entanto, nem todos os cachorros que morrem devido ao calor (e dentro de carros) morrem sem ter os donos por perto. É o caso de um casal que foi passar férias para o Algarve. Este casal tinha um bulldog francês  que levaram consigo a passar férias. Até aqui tudo bem! Mas, durante a viagem, o casal não pôde prever a fila de carros que ia apanhar, nem que a ia encontrar numa zona de muito calor.

Ora, o Bulldog Francês que os acompanhava, com tanto carinho, teve uma crise respiratória devido ao calor que estava (convém salientar que dentro de um carro a temperatura acaba por ser ainda maior e o carro do casal, sendo já antigo, não tinha ar condicionado), não resistiu e acabou por falecer.

Os donos tentaram de tudo para ajudar o seu fiel companheiro, não mediram esforços e experimentaram tudo mesmo o que se lembravam para ajudar o pobre cachorro, esforçaram-se como se de um filho se tratasse mas de nada valeu!Bulldog Frances e as altas temperaturas no carro

Os bulldogues franceses além de ser comum sofrerem de problemas respiratórios também sofrem de hipertermia, mas isto são termos que vamos tratar detalhadamente nas linhas que se seguem.
O bulldog francês  é bastante famoso pela sua aparência única e temperamento querido.

Uma característica física peculiar deste cachorro é o seu focinho achatado, é algo que chama a atenção de qualquer pessoa.

Mas, como em muitos casos, há sempre um outro lado da moeda.

Embora o focinho achatado desta raça os faça ter um ar engraçado e cative a atenção humana, também lhes traz problemas respiratórios.

É por esse motivo que os bulldog frances também são conhecidos por ser uma raça braquicéfala.

Algumas raças braquicéfalas bastante conhecidas e adoradas são o Bulldog Inglês, o Pug, o Boston Terrier, o Pequinês, o Boxer, o Shih Tzu e o Dogue de Bourdeaux.

Para contornar os problemas respiratórios e hipertérmicos dos cães de raça braquicéfala existem muitos métodos que podem ser utilizados que tomam apenas um pouco de tempo e deixa o cachorro muito mais fresco e confortável.

Bulldog Francês a respirar de modo ofegante já meio aflito com o calor:

 

Dicas para ajudar o seu Bulldog Francês com calor 

  • Muitas taças de água à disposição, para o cachorro beber bastante água;
  • Ter uma piscina pequena por perto para o cachorro ir molhando as patas (mas atenção à quantidade de água colocada na piscina e à profundidade da mesma, a maioria dos bulldoges não sabe nadar):Dicas para ajudar o seu Bulldog Francês com calor
  • Ventoinha (ou ar condicionado) apontada na direção do cachorro, mas a uma distância que não prejudique o cão;
  • Colocar uma toalha húmida em cima do cão ou salpicá-lo para o manter fresco;
  • Administrar bolas de gelo de fruta e menta para ajudar a desobstruir as vias respiratórias, mas não dar gelo em demasia para evitar inflamações da garganta;
  • Evitar passear o cachorro nas horas de maior calor, tentar passeá-lo de manhã cedo e final da tarde/início da noite, tentando restringir a caminhada do cão a 15 minutos para que o animal não se canse muito.
  • Dar-lhe um banho no jardim de mangueira ou de balde;

O termo ‘raça braquicéfala’ pode não ser muito conhecido e até pode soar assustador, mas refere-se aos cachorros de cabeça curta. Como estes cachorros apresentam um encolhimento do focinho, também sofrem de um encurtamento das vias aéreas, o que traz problemas respiratórios cada vez mais graves.

 

Problemas que podem surgir pela exposição do Bulldog Francês ao calor 

  • Acumulação de gordura na pele – Com a transpiração o Bulldog Francês tende a acumular gordura em excesso na pele, especialmente na zona do focinho, nas rugas.
  • Desidratação – Este problema acontece especialmente quando o animal está sem acesso a água durante um longo período de tempo.
  • Hipertermia -Incapacidade extrema relacionada com a temperatura corporal elevada que pode levar à morte.
  • Obstrução das vias respiratórias – Com as elevadas temperaturas as vias respiratórias do Bulldog Francês podem ficar obstruídas, levando assim a graves problemas respiratórios.

bulldog frances e o calorEsta síndrome apresenta algumas anormalidades anatómicas :

  • As narinas dos cachorros de raça braquicéfala são muito estreitas, em alguns casos é necessário recorrer a intervenção cirúrgica para as alargar. O estreitamento das narinas provoca uma deficiência no envio de ar para os pulmões, o que conduz a um cansaço fácil por parte do cachorro e a uma inadequada refrigeração do corpo, pelo que estes cachorros tendem a sofrer de hipertermia (aumento da temperatura normal);

 

  • O alongamento do palato mole (situa-se na parte por detrás do céu-da-boca) que se estende avançando sobre a garganta. Esta é uma das causas do roncar que o bulldogue francês faz ao dormir. O alongamento do palato mole prejudica a respiração em situações de nervosismo, calor e exercício físico, é dizer que nos momentos em que o animal respira mais depressa, o palato mole prejudica a troca respiratória e faz com que o cachorro não consiga respirar tão bem;

 

  • A hipoplasia traqueal é outro problema que afeta os cachorros braquicéfalos. A traqueia leva o ar até aos pulmões e é formada por anéis cartilaginosos. Nos bulldoges, em geral, é comum ocorrer uma redução do espaço da passagem do ar em determinados sítios da traqueia.

Estes três sintomas anatómicos são os principais indícios e os mais comuns nos cachorros de raça braquicéfala, mas é raro encontrar um cachorro que possua todas os três ao mesmo tempo.

A verdade é que é preciso cuidados com os cachorros desta raça, mas nada de outro mundo. Apenas não cansá-los muito, evitar o calor e mantê-los refrescados. Nada muito trabalhoso nem problemático para quem gosta tanto deles.